Ontem



Caminho pelo asfalto úmido de uma São Paulo submersa, a luz amarelada do poste faz contraste com as ondas que as gotas que caem dos fios, provocam em uma poça.

Do meu lado direito a igreja escura de janelas claras e vitrais coloridos se mostra imponente. A estética de uma cultura banhada no fogo.

O vento gelado corta meu rosto e infla em balão a toca do meu casaco. Só sei dançar com você, isso é o que o amor faz. Meu fone enterrado nos tímpanos.

Jeans rasgado, e agora molhado, aperta a minha pele. Caminho com passos largos e explodo poças quando possível. Noite fria de inverno.

Marcadores: , ,